Recicla

7 ideias “verdes” para (re)decorar a casa

Aproveite a nova estação para renovar a sua casa, pensando num estilo de vida mais ecológico sem beliscar a qualidade e o bom gosto

1. Se tem móveis antigos ou danificados não se desfaça deles sem antes verificar se os pode restaurar e reaproveitar: um sofá com um novo forro a condizer com os cortinados que comprou, umas cadeiras, mesa ou cómoda pintadas com outra cor ou decoradas com desenhos, recorrendo a técnicas de artes decorativas como a découpage. Não se esqueça que do “velho” pode sempre fazer novo com a ajuda de alguns materiais e muita imaginação.

2. Se precisa de pintar as paredes, esqueça as tintas tradicionais e opte pelas ecológicas. As tintas Ecolux, por exemplo, comercializadas por uma empresa da Marinha Grande, oferecem toda a qualidade de uma tinta convencional com impacto ambiental e para a saúde nulos e uma paleta de cores diversificada. Mas se preferir o papel de parede (ou ambos), a MyMiau está em Vila Nova de Gaia mas cria e vende para todo o país papel de parede decorativo de design moderno ou personalizado, com impressão HD, em papel e tintas ecológicos.

3. Nos cortinados, coberturas de sofás e de estofos de cadeiras, toalhas, edredões, almofadas, mantas, cobertores, lençóis e tapetes prefira os tecidos feitos de materiais orgânicos, reciclados ou de fibras naturais: algodão, lã, linho, bambu, sisal, entre outros. O algodão orgânico, por exemplo, é produzido com base nos princípios da agricultura orgânica, ou seja, não utiliza agrotóxicos nem pesticidas. E, já agora, prefira sempre tecidos com o selo de produto nacional. Entretanto, saiba que também há colchões de cama eco-friendly: a marca bracarense Spaldin — Natural Sleep é um bom exemplo.

4. Na casa de banho, pode optar por papel higiénico reciclado e saiba que as embalagens de cosmética e higiene têm lugar no ecoponto depois de usadas. Se tiver dúvidas, procure o símbolo Ecolabel.

5. Conforto, design e ecologia é uma tríade igualmente aplicável ao revestimento do chão. Os pavimentos de cortiça são uma escolha sustentável, resistente, confortável e de fácil aplicação, tal como os pavimentos à base de resinas ecológicas. Se optar pela eterna madeira, então escolha as recicladas ou ecologicamente sustentáveis.

6. Aproveite ao máximo a luz natural para iluminar a casa. Por isso, nada de cortinados “pesados” e opacos. Para se proteger do sol direto, corra as persianas para baixo. No que diz respeito à iluminação artificial, as lâmpadas LED da nova geração são económicas e dão muita luz. Entre a cor branca ou amarela, para espaços como salas e quartos prefira as de tom amarelo, que criam ambientes “quentes”. Se não dispensa um jantar romântico à luz das velas, compre as de cera naturais, como as de soja, ou, melhor ainda, faça-as você mesmo, com óleos de cozinha usado.

7. “Refresque” o espaço com plantas naturais, mas antes de as adquirir, informe-se sobre as necessidades de água e sol de cada espécie e escolha as que mais se adequarem a cada divisão da sua casa.