Recicla

Anna Masiello: “A reciclagem é o mínimo que podemos fazer para sermos mais sustentáveis!”

Tem nacionalidade italiana, mas o seu encanto por Portugal fê-la mudar-se de “armas e bagagens”. Por cá, Anna Masiello tem-se dedicado a um estilo de vida sustentável, criou o projeto R-Coat, de que já aqui falamos, e agora está a preparar-se para a Green Trip, uma iniciativa que convida 15 jovens influenciadores de cinco países europeus a viajarem para baterem à porta de projetos sustentáveis. Daí o mote #DingDongEU.

O que a leva a participar na Green Trip e a aceitar o desafio #DingDongEU? E quais são as expectativas?
É uma oportunidade única! Nunca ouvi falar dos projetos que vou visitar, apoiados pela União Europeia, e estou muito entusiasmada para conhecer mais sobre este país e aprender a cuidar das nossas águas, animais e ambiente natural. Há muito a acontecer em Portugal e muitas vezes nem sabemos disso! A Green Trip entusiasmou-me por ser um projeto que une dezenas de pessoas focadas em melhorar o nosso mundo e, além disso, potencia conhecimento e partilha de iniciativas realmente interessantes. São desafios como estes que motivam jovens a ir mais longe e mudar os seus hábitos diários. Sigam a página @euinmyregion e vejam a quantidade de projetos inovadores e sustentáveis que existem!

Relativamente ao seu projeto R-Coat, qual é o balanço que faz até agora?
O projeto R-Coat está a ser uma grande aventura! Nunca achei que ia ter uma marca de moda na minha vida… e acabei por trabalhar com um tipo de moda bem complicado! O upcycling e transformação de guarda-chuvas partidos em peças de roupa e acessórios é desafiante porque o material é imperfeito e só se consegue trabalhar de forma artesanal e mesmo assim não é fácil encontrar pessoas que saibam ou gostem de trabalhar com este material. Vale a pena então continuar a desenvolver o projeto? Claro que sim! Temos uma comunidade de umbrella heroes incríveis que já resgatou mais de 700 guarda-chuvas, temos uma rede de quase 30 pontos de entrega em todo o país e temos uma grande vontade de continuar a reduzir o desperdício e criar uma marca de moda circular e de alta qualidade para provar que o futuro da moda é sustentável.

Nos últimos anos tem-se dedicado a ações mais sustentáveis e no objetivo do desperdício zero. O que a motivou?
Sempre tive uma grande sensibilidade pelo ambiente e pelas pessoas, provavelmente porque o meu pai é guarda florestal e a minha mãe é assistente social e cresci com fortes valores de respeito e amor pelo que nos rodeia. Desde pequenina que oiço falar de alterações climáticas, aquecimento global e desastres naturais, mas são temas tão grandes e impressionantes que sempre me senti demasiado pequena para fazer alguma coisa e ajudar. Quando comecei a ver exemplos de estilos de vidas mais sustentáveis, percebi que é uma forma muito simples para reduzir a própria pegada ecológica e impacto negativo no planeta. Para mim, desperdiçar menos e ter hábitos mais sustentáveis significa dar mais valor a todos os recursos usados e contribuir ativamente para a diminuição das emissões de gás efeito estufa.

Como tem corrido esta experiência? Foi fácil mudar o estilo de vida?
Algumas coisas foram mais fáceis de mudar, outras menos, mas, no geral, tem sido uma grande satisfação saber que estou a ajudar o planeta com pequenas mudanças de hábitos. Na minha experiência foi simples, por exemplo, mudar hábitos alimentares, reduzir muito os produtos animais e comprar biológico, local e a granel. Também foi fácil acabar com a fast fashion e só comprar em segunda mão, trocar com amigos ou apoiar marcas sustentáveis. Uma das mudanças mais complicadas está a ser viajar de forma mais sustentável: tendo toda a minha família em Itália, vou de avião duas vezes por ano. Uma vez fui de autocarro, mas demorou mais do que 24 horas e foi mais caro do que voar… não é fácil escolher sempre a melhor opção para o planeta!

Faz separação de embalagens para reciclagem?
Claro, a reciclagem é o mínimo que podemos fazer para sermos mais sustentáveis! O ideal é reduzirmos os nossos resíduos, mas os que ainda produzimos nunca deveriam acabar no lixo geral por serem incinerados ou enterrados. Acho muito importante aprendermos a ler os rótulos dos nossos produtos e colocá-los nos sítios certo quando os deitamos fora.

Qual considera ser a importância da reciclagem?
Eu acho que nada é lixo e tudo é um recurso e a reciclagem é um processo que ajuda a reintroduzir estes recursos no mercado e no nosso dia a dia. As coisas que deitamos no contentor geral não têm futuro, só podem acabar num aterro, no ar incinerados ou no ambiente natural.

Quais são os outros gestos sustentáveis que adota diariamente?
Compro produtos biológicos e locais, uso uma garrafa reutilizável e um filtro natural de carvão para a água, escolho roupa e objetos de segunda mão, trocados ou de marcas sustentáveis, sempre que posso uso transportes públicos, reduzo o desperdício alimentar em casa, faço compostagem e mais coisas. A coisa mais importante que faço diariamente é ler, informar-me e aprender coisas novas, só assim consigo melhorar!

Que sugestão deixa a quem quer dar os primeiros passos nesse sentido?
Primeiro, yay que bom que querem reduzir o vosso impacto ambiental!! Sugiro fazer pequenas mudanças e com um ritmo confortável para vocês e nunca parem de serem curiosos e de quererem aprender mais sobres estes assuntos! Ler, ouvir, aprender, mudar e desafiar são passos essenciais!