Recicla

Beba um café e, de seguida, coma o copo

Festas de aniversário ou eventos empresariais são, muitas vezes, motivo para a utilização de loiça descartável, como copos, pratos e talheres de plástico. Antecipando que, em 2021, vamos ter de dizer adeus a todos os plásticos de uso único, Luís Simões e Pedro Cadete criaram soluções sustentáveis.

Os dois empresários defendem que “o futuro está nas nossas escolhas conscientes” e, por isso, abriram portas à Soditud, uma empresa que se dedica à comercialização de loiça comestível e biodegradável.

Sejam pratos, palhinhas ou copos de café, Luís Simões afirma que a primeira questão dos consumidores “é sempre a mesma”, isto é, “se podem mesmo comer a loiça”. Mas, diz, essa não é a pergunta mais importante: “Para nós, Soditud, o foco da preocupação é se não prejudicam o nosso ambiente e contribuem para um mundo ‘mais clean’”.

Os produtos são feitos de desperdício das matérias-primas. O cofundador da empresa dá o exemplo dos artigos da marca Biotrem, que usa o farelo de trigo: destinado, inicialmente, a outras utilizações, o que sobrava passou a “dar vida a novos produtos”. Aproveitando-se apenas os excedentes de outras produções, a reutilização deste material para a produção de loiça torna-se sustentável, pois a sua segunda utilização não torna necessário aumentar o cultivo de matéria-prima.

A fábrica, sediada em Santarém, está a laborar desde 2018 e o balanço do sócio fundador é positivo, já que, diz, os consumidores estão “mais informados e têm consciência de que estas inovações vão levar a um mundo mais sustentável”. Acrescenta que a Soditud procura estar “presente em novos projetos sustentáveis e inovadores”, tendo, por isso, lançado recentemente uma nova gama de “super alimentos”.