Recicla

Como ajudar quem ajuda o ano inteiro

São muitas as associações, empresas e fundações que, todo o ano, trabalham e reúnem o que é necessário para ajudar quem mais precisa. Seja em que circunstância for. Com a pandemia por Covid-19 são incontáveis as pessoas que pedem apoio, mas, agora, quem o presta também precisa de um empurrão para poder continuar a sua missão.

Há várias formas de ajudar, mas a mais simples e valiosa é voluntariar-se. Afinal, passa a fazer parte de um ciclo: ajuda quem precisa, passa a palavra a mais pessoas e mais gente presta apoio. O que vier por acréscimo, em donativos, por exemplo, acaba por saber ainda melhor. Escrevemos sobre quatro entidades de diferentes áreas de atuação, mas com propósitos similares:

Comunidade Vida e Paz. Debate-se no combate à pobreza e exclusão social e viu, com a Covid-19, crescer para o dobro o número de pessoas a quem prestava auxílio. São cerca de 600 os voluntários que integram as equipas de rua para criarem relação com as pessoas em situação de sem-abrigo. Pode ajudar através de donativos, voluntariado, doação em géneros, consignação do IRS e chamadas de valor acrescentado.

SEMEAR. O seu propósito é apoiar a integração de pessoas com deficiência, estabelecendo parcerias para combater o elevado desemprego que existe nessa área em particular. Pode contribuir sendo parceiro ou voluntário num dos projetos, fazendo uma doação ou comprando os cabazes com produtos biológicos e gourmet da Loja Semear, cuja produção conta com a participação de jovens e adultos com dificuldade intelectual, já empregados ou ainda em formação.

Fundação LIGA. Abrange cerca de 1600 pessoas por ano, com condicionamentos da sua funcionalidade física, social e/ou cultural, e disponibiliza-lhes vários programas e serviços. Ao comprar um produto dos ateliês de artes plásticas, cerâmica, costura e cartonagem, a voluntariar-se, a contribuir com um donativo ou a consignação do IRS, a associar-se ao Clube dos Amigos, a utilizar os seus espaços para eventos ou a usufruir dos seus serviços de catering e restauração – Café Concerto, em Lisboa – está a contribuir para a autossustentabilidade da fundação.

Aldeias de Crianças SOS. Desenvolvem programas de proteção direcionados para crianças e jovens que ficaram privados do cuidado parental. Cada aldeia tem várias casas e vive-se em comunidade, sempre em contacto com o exterior. Devido à pandemia, estão a passar por um momento difícil, para conseguir reforçar o acompanhamento e ter meios de forma a que todas as crianças estudem a partir de casa. É possível ajudar através de donativos, da doação de parte da herança e da compra, no site, de kits para o regresso às aulas.

As necessidades aumentam em alturas como esta pandemia. Toca a ajudar quem ajuda todo o ano. Testemunhe as suas missões, elas não ficaram de quarentena.