Recicla

Como fazer embalagens (mais) amigas do ambiente? O Ponto Verde Lab explica

Mostrar que é possível otimizar a conceção e a produção de embalagens, de modo a torná-las mais fáceis de reciclar, é o propósito de uma nova plataforma digital da Sociedade Ponto Verde (SPV).

Chama-se Ponto Verde Lab, precisamente porque é um “laboratório” de sugestões práticas direcionadas para quem produz ou coloca as embalagens no mercado.

O desafio é para que apostem na inovação e desenvolvam embalagens que sejam de raiz mais sustentáveis e tenham maior potencial de reciclabilidade após o consumo. Como? Utilizando componentes facilmente separáveis, preferindo as embalagens incolores às coloridas, evitando que os rótulos ocupem mais de 2/3 da embalagem e procurando formatos facilmente desdobráveis ou espalmáveis.

Estes são alguns dos caminhos que vão conduzir a um menor desperdício de materiais na reciclagem, mas nesta nova plataforma há mais dicas e recomendações, que vão do ecodesign à otimização dos processos de estudo, ao desenvolvimento e à produção de embalagens. Está tudo agregado em pack4recycling.

O foco deste laboratório é a prevenção, envolvendo toda a cadeia de valor, e convidando as empresas a juntar-se à L’Oréal , Sumol+Compal, Nestlé, Unilever, Danone, Sonae ou Longa Vida, que já estão atentas a estas questões. A pensar nessas marcas, a SPV formou uma equipa dedicada a prestar apoio técnico em todo este processo de otimização das embalagens.

Justificando esta iniciativa, a CEO da SPV, Ana Isabel Trigo Morais, recorda que “o consumidor e todo o ciclo económico estão cada vez mais exigentes e focados nas questões da sustentabilidade e circularidade”: “É premente agir com esse foco e por considerarmos essencial atuar a montante – isto é, na base de inovação de embalagem – lançámos o Ponto Verde Lab. Queremos apoiar e acompanhar a evolução dos nossos clientes nesta matéria, para que consigamos mais e melhor reciclagem e uma valorização efetiva de materiais e da economia circular”.