Recicla

Conheça como se recicla na Europa… sem sair de casa

Será que os ecopontos são todos iguais e que as regras de separação de embalagens são as mesmas noutros países? É o que pode ficar a saber numa viagem virtual por algumas sociedades gestoras de resíduos na Europa.

E para que, quando puder mesmo viajar, saiba dizer embalagem e reciclagem, e muito mais, na língua do seu destino, deixamos algumas sugestões de aplicações em que pode dar os primeiros passos num novo idioma, reavivar a memória ou aprofundar os seus conhecimentos.

Comecemos pela Espanha, o país que está mais perto e com cuja língua estamos, de alguma forma, mais familiarizados.  E, por isso mesmo, é natural que saiba que reciclaje é reciclagem e que envases é embalagens. Os contentores são amarelos, azuis e verdes, como os nossos, mas para saber mais propomos uma visita à Ecoembes, a sociedade gestora de resíduos parceira da SPV.

Seguimos para França. A Citeo é a entidade responsável por dar nova vida às embalagens, que, aqui, se chamam emballages, aos papeis, que, em francês, são papiers, e ao vidro, que é verre.

Continuando, chegamos à AlemanhaDerGrünnerPunkt é a sociedade gestora dos resíduos e, em português, significa, literalmente, ponto verde. Para conhecer melhor o sistema alemão, é mais fácil navegar pelo site em inglês, mas, se quiser aventurar-se no idioma local, fique já a saber que Verpackungen significa embalagens e que Nachhaltige é o mesmo que sustentável.

Mais para norte, o Reino Unido também possui um sistema de gestão de resíduos. Este é, porventura, o idioma estrangeiro mais falado pelos portugueses, pelo que palavras como sustainability, recycling ou waste já são suas conhecidas. Mas, para saber melhor como tudo funciona, espreite o site da Valpak.

Se tiver curiosidade pelo país das tulipas, saiba que nos Países Baixos a gestão do sistema pertence à  Afvalfonds Verpakkingen. Não é fácil pronunciar, o que é mais uma razão para ir aprendendo a língua antes de se meter ao caminho. Deixamos algumas pistas com os materiais: kunststof é plástico e parece o mais difícil, mas os outros são semelhantes ao inglês – glas é vidro, papier é papel e metaal é metal.

Entrando nos países nórdicos, paramos na Noruega. Aqui os materiais também têm nomes similares aos ingleses e quase não precisam de tradução: glass, plast, metall, kartong. A palavra embalagens também é percetível – emballasje. Está tudo em Gront Punkt.

Iniciemos a descida para o centro da Europa, até à República Checa. A EKO KOM é quem gere o sistema e no site pode ficar a par dos progressos, bem como descobrir os termos associados à reciclagem. A propósito, diz-se recyklace.

Ficou com vontade de ir? Enquanto não vai, aceite a nossa sugestão e aprenda um pouco mais sobre o destino a partir da língua. Eis algumas aplicações que podem ajudar nessa missão:

Duolingo é das ferramentas mais utilizadas para aprender línguas como o inglês, o francês ou o italiano, mas também o polaco, o romeno, o japonês e muitas mais. Além de ser gratuita, inclui diversos exercícios que implicam a prática da escrita, da compreensão oral e da pronúncia.

Com a Busuu a lista de línguas não é tão extensa, no entanto, esta ferramenta está preparada para ensinar em diversos níveis de aprendizagem e inclui uma opção só para viajantes. Os exercícios propostos são corrigidos por nativos e se tiver dúvidas pode entrar em conversação com eles através do chat desta aplicação.

Já a Memrise, vencedora do prémio melhor aplicação Android, pela Google Play, em 2017, procura utilizar a memória e a conversação como principais ferramentas de aprendizagem.

E o que lhe parecem os idiomas do norte da Europa? A Babbel tem aulas com a duração de 15 minutos cada e é direcionada para assuntos do dia a dia, ensinando o aluno através de questões básicas como “o que vai pedir para comer”.

Será, com certeza, mais interessante conhecer estas línguas enquanto se viaja para qualquer um destes países, mas, por enquanto, sem deixar de aprender, devemos manter-nos em casa.