Recicla

Conhecer Portugal em BTT

O BTT é ideal em qualquer altura do ano e uma boa forma de fazer desporto enquanto passeia e conhece novas paisagens. Pegue na bicicleta e venha daí!

Portugal tem imensos trilhos para percorrer em BTT, quer nos arquipélagos, quer no continente. E até trilhos para todos os gostos, ou melhor, para todas as pernas, com diferentes graus de dificuldade, alguns só para os ciclistas muito aventureiros e resistentes.

Comecemos pelo sul do País, que continua a ser destino de eleição para as férias de verão. Na rota da costa vicentina, há percursos curtos e longos, de fácil e de média dificuldade e na maioria circulares. Todos os trajetos são feitos por terra batida e podem conduzir à descoberta de Aljezur, através dos núcleos de BTT de Odemira, São Teotónio, São Luís, ou Santa Clara-a-Velha. A rota do Guadiana tem diversos percursos fáceis, de curta duração, circulares e também por terra batida, ideais para a prática de BTT, entre Vila Real de Santo António e Alcoutim.

Subindo no mapa, chegamos à região centro. Aqui, encontra dez locais para BTT homologados pela União Velocipédica e pela Federação Portuguesa de Ciclismo. São 56 percursos com trilhos para todas as idades e dificuldades, para ficar a conhecer melhor Pampilhosa da Serra, Manteigas, por exemplo, através da Rota da Lapa, Sabugal, Vouzela, Batalha, Seia e várias outras vilas. Ainda nesta região e para os mais destemidos, existe a Rota das Aldeias Históricas. São 600 km, divididos por 12 etapas, uma em cada aldeia.

Os centros de BTT do norte do país dão a oportunidade de conhecer melhor o Parque Biológico de Vinhais. Aqui existem quatro percursos com caminhos circulares e em terra batida, fáceis, médios e difíceis. Aventure-se pela Meia Encosta de Baião, e  observe a vista panorâmica entre os quatro circuitos que o Centro de BTT Baião oferece. Pode também optar por um dos seis trajetos que o Centro de BTT de Valongo propõe e passear junto às margens do rio Ferreira e na serra de Santa Justa.

Atravessando o Atlântico, chegando à Madeira, o difícil é escolher. Os trilhos riscam o verde da ilha, à espera dos ciclistas com pedalada para o sobe e desce das encostas. Entre os mais fáceis, encontra-se o Fox Trail, pouco inclinado como se quer quando se é iniciante. Mas quando se é experiente, preferem-se trilhos como o Blackline Prazeres, que exige uma técnica mais apurada.

Mudando de arquipélago, nos Açores pode-se experimentar uma rota classificada como difícil, o Pico Granfondo, que promove a exploração da montanha e da própria ilha.  O trajeto é circular e por estrada, contendo uma subida de quase três quilómetros.  Para um percurso mais curto e por um terreno mais inclinado, experimente o Trilho do Tanque, na ilha de Santa Maria.

Aqui ficam algumas sugestões para uma pausa na praia, mas cheia de adrenalina. Não se esqueça porém: por onde quer que pedale, não deixe lixo.