Recicla

Dê as mãos à natureza. Este verão vá até um eco camping

Este será, certamente, um verão diferente. Mas não há razão para não aproveitar as férias. O melhor será continuar a evitar as multidões. E o campismo pode ser uma boa opção, além de que é também uma escolha amiga do ambiente.

É verdade que se dão os primeiros passos no desconfinamento, mas a distância social deve continuar a ser regra. Aproveite que está em casa para fazer planos. E espreitar estas opções de parques de campismo que levam a sustentabilidade a peito:

  • Comecemos pelo norte transmontano. Situado no Perímetro Florestal da Serra da Coroa, o Parque Biológico de Vinhais assenta a sua criação e manutenção em três pilares: conservação da natureza, promoção da biodiversidade e interpretação da paisagem da região.  Quem desejar passar uns dias neste recinto tem várias opções. Mas a primeira regra é a de uma utilização sustentável, o que passa pela poupança de água e eletricidade, assim como pelas práticas de reciclagem e de compostagem, havendo vários ecopontos e compostores espalhados pelo espaço. O fertilizante aqui produzido é usado no jardim e nas plantas aromáticas e medicinais. O parque conta com uma piscina biológica, que se divide em duas áreas, uma para banho e outra para a depuração da água por processos biológicos através da aquacultura. 
  • De Montesinho para a Zambujeira do Mar, o Zmar foi criado em 2009 tendo por base a sustentabilidade. São 81 hectares, com uma missão: educar. E por isso partilha os resultados obtidos: em 2019, enviou para reciclagem 6.480 quilos de plástico e metal, 10.980 quilos de papel e cartão, 13.520 quilos de vidro. Além disso, comparativamente ao ano anterior, cada hóspede consumiu menos 14% de eletricidade, menos 12% de gás e menos 4% de água.
Zmar
  • Um pouco mais abaixo, em Monchique, o Eco-Lodge Brejeira oferece um conceito de glamping sustentável. Aqui, a eletricidade é produzida através da luz solar e do vento e a água é proveniente de uma fonte própria. Os móveis foram adquiridos em feiras de usados ou em lojas de segunda mão, por isso não é de estranhar que existam chuveiros feitos de baldes, por exemplo. Os hóspedes são também incentivados a reciclar e a separar outros resíduos para compostagem, de forma a contribuírem para a criação de fertilizante utilizado na horta biológica do espaço.
  • Para quem não dispensa uma ida até ao Algarve, o Salema Eco Camp é uma opção. Em todos os serviços deste parque o objetivo passa sempre pela redução do impacto ambiental. Reciclar é palavra de ordem, mas as energias renováveis são também uma grande aposta. O sol fornece a energia para aquecer a água, que aqui não se desperdiça, pois existem redutores em todas as torneiras. No sentido de reduzir o consumo de plásticos, os hóspedes são incentivados a reutilizar as suas garrafas. Há dez pontos de abastecimento em todo o recinto e filtros de carvão para tornar a água mais pura. Este parque conta também com uma ecostore, onde se podem adquirir produtos alimentares, distribuídos por produtores locais, de cosmética e de limpeza sustentáveis e orgânicos.
Salema Eco Camp

Seja numa tenda ou nas estruturas dos recintos, este verão traz boas razões para se manter em contacto com a natureza. E em segurança.