Recicla

Doze aldeias históricas e sustentáveis

Entre montes e vales com paisagens verdejantes, no interior de Portugal, encontram-se 12 aldeias que lideram o panorama internacional de Destinos Turísticos Sustentáveis.

É verdade, a distinção foi atribuída, pela primeira vez, às Aldeias Históricas de Portugal, pelo Instituto de Turismo Responsável. A distinção tem como objetivo implementar ações de desenvolvimento sustentável aliadas ao turismo. As Aldeias Históricas de Portugal pretendem também alertar a sociedade para a importância de continuar a preservar o ambiente, bem como reforçar o envolvimento de empresas sustentáveis no turismo.

Assim, tem agora mais 12 destinos que pode adicionar à lista de locais sustentáveis a descobrir:

  • Piódão: Entre as montanhas do Açor, vai encontrar a aldeia de xisto de Piódão. Também conhecida como Aldeia Presépio, é uma das mais peculiares do País, pois conta com um conjunto de casas feitas em xisto negro, com telhados de ardósia e portas e janelas pintadas de azul. A Igreja de Nossa Senhora da Conceição sobressai no centro desta 7.ª Maravilha de Portugal. Sugerimos-lhe que caminhe entre as ruas e que visite tanto o Núcleo Museológico, como a sua praia fluvial.
  • Linhares da Beira: Localizada no Parque Natural da Serra da Estrela, esta aldeia vai transportá-lo para o ambiente medieval que se vivia no século XII. É um verdadeiro museu a céu aberto, com casas em granito a ladear as ruelas. Entre os locais de visita obrigatória, estão o castelo, o Fórum Medieval, a Casa do Judeu, a Igreja Matriz, o Pelourinho e a Antiga Casa da Câmara e Cadeia. Se gosta de aventura, aproveite o facto de Linhares da Beira ser considerada a Capital do Parapente, em Portugal, e aventure-se nesta modalidade.
  • Trancoso: A próxima paragem deste roteiro é Trancoso, localizada entre os rios Douro, Côa e Mondego, e terra do poeta e sapateiro Bandarra. Cidade desde 2004, faz parte de um conjunto de fortalezas que fazem fronteira com Espanha. O ponto de partida para começar a explorar o centro histórico é a Porta d’El Rei. Perca-se pelas ruas medievais até chegar aos Paços do Concelho e ao Palácio Ducal. Visite as Igrejas de São Pedro e de Santa Maria e suba até ao castelo, um dos mais antigos de Portugal.
  • Marialva: Esta aldeia pode ser pequena em tamanho, mas é grande na História que tem para contar, pois está rodeada de construções que sobreviveram ao tempo. Percorra a pé as estreitas ruas e visite as ruínas da antiga fortaleza, bem como o castelo. Não deixe de passar pela Igreja de Santiago – visto que é um ponto de passagem a todos os que fazem os Caminhos de Santiago -, pela Capela da Nossa Senhora dos Passos, e pela cidade romana de Civitas Aravorum.
  • Castelo Rodrigo: Localizada no distrito da Guarda, é uma aldeia histórica que soube guardar a sua arquitetura medieval, exibindo uma mão cheia de monumentos que merecem ser visitados. Entre os mais emblemáticos estão o castelo, as ruínas do Palácio de Cristóvão de Moura, a Igreja Matriz, a Cisterna Medieval e o Pelourinho.
  • Almeida: Situada perto da fronteira entre Portugal e Espanha, é das mais fortificadas de Portugal. Palco de épicas batalhas, como a do “Cerco de Almeida”, em 1810, tem muito para explorar. Por ter preservado vários edifícios de natureza militar, não pode deixar de visitar o Castelo de Almeida, Picadeiro d’el Rei, Museu Histórico-Militar e a Torre do Relógio.
  • Castelo Mendo: Localizada sobre uma colina, está rodeada por muralhas construídas para a proteger dos inimigos. As muralhas tinham oito torres, que foram destruídas no terramoto de 1755, mas mantêm as cinco portas: a porta da aldeia, a da guarda, a do sol, a da traição e a porta D. Sancho. Durante a sua visita, percorra a rua direita em direção às ruínas da Igreja de Santa Maria do Castelo, ao pelourinho e à Igreja de São Vicente.
  • Belmonte: É o berço do navegador Pedro Álvares Cabral e, além da forte ligação com os Descobrimentos, também a tem com a comunidade judaica portuguesa e isso faz-se sentir no bairro judeu, onde pode descobrir a sinagoga e o Museu Judaico. Passe ainda pelo castelo, pela Igreja de Santiago e pelo moderno Museu dos Descobrimentos. Visite o Largo do Pelourinho e acabe o dia a apreciar o pôr do sol na Torre de Centum Celas, com uma vista ampla para a Serra da Estrela.
  • Sortelha: Perto da Serra da Opa, é um museu medieval a céu aberto, com as suas casas de granito entre as muralhas. Entre os muitos locais de interesse, destacam-se a Torre de Menagem, as Portas da Muralha, a Igreja Matriz, a Casa dos Falcões, a Casa Árabe e duas rochas diferentes: a “pedra do Beijo” e a “Cabeça da Velha”.
  • Monsanto: Eleita em 1938 como a aldeia mais portuguesa de Portugal, tem vindo a preservar a sua autenticidade. Situada no meio de gigantescos penedos de granito, em que alguns servem de casa, possui pontos de interesse como o castelo, as igrejas Matriz e da Misericórdia, a Torre do Lucano, o Miradouro da Praça dos Canhões e a icónica Casa entre Penedos.
  • Idanha-a-Velha: Localizada nas margens do rio Ponsul, é uma antiguidade pura, que impressiona com a sua beleza. Fundada no século I a.C. cada pedra desta aldeia tem uma história para contar. Visite o forno comunitário, o Lagar das Varas, a Torre dos Templários, a Sé Catedral e a Capela de São Sebastião.
  • Castelo Novo: Escondida na sombra das muralhas, como muitas das aldeias históricas que compõem esta rota, chegamos ao último destino: Castelo Novo. No centro da aldeia, encontra a antiga câmara municipal, com os seus arcos e a fonte de D. João V. Encontra também o pelourinho manuelino e, um pouco mais abaixo, a igreja paroquial em honra da Nossa Senhora da Graça. Visite também o castelo que lhe dá nome.

No entanto, não se esqueça de levar para esta viagem, que é como que um regresso ao passado, algumas medidas amigas do ambiente:

  • Descubra a rota de bicicleta ou a pé e aproveite os trilhos pela natureza;
  • Não deixe lixo pelo caminho e leve consigo um saco do lixo para guardar as embalagens que for utilizando;
  • Escolha também um alojamento que seja amigo do ambiente, com produtos naturais e regionais.

Está pronto?