Recicla

Estradas de plástico dos oceanos já são uma realidade

Com a PlasticRoad, as ruas de asfalto nas cidades podem ter os dias contados. Conheça o projeto holandês que quer construir rodovias com plástico retirado do mar

Consegue imaginar uma estrada construída em poucos dias, totalmente de plástico, mais barata e tão ou mais robusta quanto uma de asfalto? Soa a cenário futurista, mas ela já existe, chama-se PlasticRoad e faz parte de um projeto concebido pela KWS, uma subsidiária da empresa holandesa VolkerWessels, em consórcio com a Wavin e a Total, três gigantes da indústria mundial.

O primeiro projeto-piloto foi apresentado em setembro do ano passado: uma ciclovia com 30 metros de comprimentos feita de elementos modulares prefabricados ocos que facilitam a drenagem das águas e a colocação de canos e tubagens diversos.

Após anos de observação dos problemas relacionados com a construção e manutenção da rede viária das áreas urbanas, a ideia de uma estrada feita com plástico 100% reciclado fez todo o sentido para esta empresa do país dos diques.

A PlasticRoad, um exemplo das potencialidades da economia circular, já que o plástico, principal componente, é retirado dos oceanos e reciclado,  traz os resíduos plásticos de volta para a cadeia, reduzindo assim os impactos ambientais da construção e manutenção de uma estrada. O plástico é depois transformado em peças que se instalam como um puzzle, tornando a instalação fácil, rápida e leve. Além disso, tem uma durabilidade prevista três vezes superior às pavimentadas por metade do custo, não sofrendo de problemas como erosão, ervas daninhas, buracos, inundações superficiais, aquecimento e ruído.

No final de 2018, este conceito ganhou o prémio Cobouw, atribuído por esta publicação comercial holandesa de renome para o setor de construção e infraestruturas, na categoria de “melhor produto”.

PLASTICROAD VS ASFALTO

  • 3x mais durável e com menores necessidades e custos de manutenção.
  • 70% mais rápida de instalar.
  • 4x mais leve.
  • 100% reciclada na maioria dos materiais que a compõem, contribuindo para a diminuição da pegada de carbono e da contaminação por resíduos plásticos

Adicionar comentário