Recicla

Eunice Maia: “Tenho o compromisso de deixar um mundo melhor a quem o receber”

Esta empreendedora criou aquela que foi a primeira loja sem desperdício da Europa. Na Maria Granel, que conta já com dois espaços em Lisboa, vende tudo a granel e incentiva os clientes a levar os seus próprios recipientes. Este ano, foi a vencedora da edição do Prémio Terre de Femmes competição que tem como missão distinguir ideias e negócios desenvolvidos no feminino e a favor do ambiente

Faz reciclagem?
Embora tenha reduzido drasticamente os resíduos que gero, sobretudo, as embalagens, através da recusa, da redução e da reutilização, sim, reciclo.

De que forma o faz?
O meu pai sempre fez, desde que me lembro, reciclagem e compostagem, portanto, desde miúda que é um hábito bem enraizado. Tenho a sorte de morar numa zona de Lisboa onde os prédios estão equipados com condutas que permitem a separação e a triagem de resíduos para a reciclagem.

A sua consciência ecológica aumentou depois de abrir a Maria Granel?
Sem dúvida, a missão da Maria Granel contribuiu decisivamente para o meu despertar. Não há no meu passado qualquer marca de ativismo ambiental – bem pelo contrário; eu era extremamente consumista. Este projeto e as pessoas que conheci através dele inspiraram-me a mudar a minha vida e deram-me um propósito: deixar um mundo melhor a quem o receber. É esse o meu compromisso, o sentido dos meus dias.

Além da reciclagem, que outros hábitos sustentáveis tem no dia a dia?
Ando sempre com um kit de talheres e uma garrafa reutilizável atrás, uso sacos de pano para as compras e faço compostagem.

Sente que já conseguiu mudar os hábitos de quem a rodeia?
Sim, sinto, e tenho muito orgulho nisso! Graças à Maria Granel, conseguimos já ajudar muitas pessoas a fazer uma transição ecológica, fregueses e não só. Desenvolvemos um programa educativo ambiental, assim como workshops na loja, que nos permitem chegar a empresas, escolas, instituições e contagiar as pessoas com esta revolução que é a redução de desperdício através de pequenos gestos, pequenas mudanças.

De que forma concilia esses hábitos com a rotina do dia a dia?
Na minha caminhada houve dois grandes desafios que demoraram mais tempo: começar a fazer compostagem doméstica (tive de esperar pelo programa “Lisboa a compostar”) e “desplastificar” a casa de banho (tudo ficou mais fácil com champô a granel e champô sólido).

Três hábitos sustentáveis dos quais não abdica
Usar garrafa reutilizável e sacos de pano para as compras e conduzir um carro elétrico.