Recicla

Há bicicletas mais verdes do que outras…

Se vive em Lisboa e gosta de pedalar, saiba que não precisa ter a sua própria bicicleta. Pode pedi-la emprestada e, assim, apoiar a mobilidade verde e a economia circular. Leia a seguir como.

Chama-se Selim – Banco de Bicicletas é um projeto-piloto criado pela CICLODA, a associação sem fins lucrativos mentora da Cicloficina dos Anjos. Procura reduzir o número de bicicletas abandonadas ou inutilizadas na cidade, dando-lhes uma nova vida, quer para voltarem a circular, quer para upcycling. Conta com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa e da Junta de Freguesia de Arroios, local onde está sediado.

O coordenador do projeto, Nuno Pinhal, explica que a ideia não é propriamente nova, mas a Covid-19 acabou por acelerá-la. “A Cicloficina dos Anjos, que existe desde 2011, quis desde sempre pôr bicicletas na rua. Com a chegada da pandemia, começámos a perceber que a procura estava a aumentar bastante e, como sabemos que existem bicicletas que são tiradas das ruas, ou por estarem estacionadas há muito tempo ou porque estão abandonadas, apresentamos esta proposta à câmara, que aceitou”.

No sentido de minimizar a poluição e de ajudar quem vive, trabalha ou estuda na capital, o Selim disponibiliza, para aluguer a longo prazo, bicicletas reparadas, verificadas e testadas para se circular em segurança e de forma mais ecológica.

Com início no mês de setembro, altura em que muitos lisboetas retomaram as suas rotinas de deslocações para o trabalho ou para as escolas e universidades, o projeto já registou mais de 500 pedidos. “A aceitação tem sido ótima, nós sabíamos que íamos ter pedidos de empréstimo, mas nunca esperámos que fossem tantas pessoas”, refere Nuno Pinhal.

O Selim pretende não só impulsionar a mobilidade leve como também contribuir para uma economia circular, pois aceita e recebe bicicletas sem olhar a características específicas. Mesmo que necessitem de reparação estas são bem-vindas, consertadas e testadas para serem, posteriormente, alugadas e, assim, reaproveitadas. Na mesma lógica de reutilização e de zero desperdício, são também aceites peças e acessórios de apoio, como luzes e refletores, cadeados, descansos e campainhas. No espaço de um mês já receberam mais de 100 doações.

Por isso, já sabe: se tiver uma bicicleta ou peças que já não usa ou já não quer, pode entregá-las no Selim, que se encarrega de lhes dar uma nova vida. E, assim, dá a oportunidade a outras pessoas de darem umas voltas amigas do ambiente.