Recicla

Há menos lixo na(s) cidade(s)

Sabia que as cidades de Lisboa e Porto estão a produzir menos lixo? É um facto e uma consequência do abrandamento da atividade económica e do turismo.

Os dados são oficiais, ainda que parcelares: com as empresas fechadas, com cafés e restaurantes fechados ou apenas com serviço de take away ou de delivery, e com menos turistas nas unidades hoteleiras, a Área Metropolitana de Lisboa produziu menos 20% de lixo, entre a primeira e a segunda quinzena de março. A Valorsul, entidade responsável pela gestão dos resíduos sólidos urbanos na região, indica que no município de Lisboa essa queda foi mais acentuada – na ordem dos 30%, o que é explicado com o abrandamento do turismo. Nos restantes concelhos, por serem mais residenciais, o impacto foi menor, mas, ainda assim, aconteceu.

Há menos pessoas a circular, mas também há mais pessoas em casa, ou, pelo menos, mais tempo em casa. E a consequência poderia ter sido um aumento da produção de lixo doméstico. Mas não aconteceu. A recolha de resíduos indiferenciados manteve-se estável, talvez porque tenha havido uma preocupação acrescida com a redução do desperdício e com a reciclagem das embalagens usadas.

O cenário é muito semelhante a norte. No Porto, em concreto. De acordo com a Lipor, a entidade responsável pelo tratamento destes resíduos, dá conta de uma quebra de 800 toneladas por semana. O que é atribuído ao encerramento de cafés e restaurantes, mas também à menor presença de turistas – afinal, a Cidade Invicta é, cada vez mais, um destino de férias.

Em relação ao lixo coloca-se uma questão particular decorrente da pandemia: os resíduos decorrentes dos atos de prevenção e tratamento da infeção. Falamos de luvas, máscaras e outros, que devem merecer um cuidado particular. Saiba qual, aqui.