Recicla

Helana: um restaurante aromatizado que aposta nos materiais sustentáveis

Inaugurado há 19 anos, este restaurante, localizado em Idanha-a-Nova, aposta na certificação biológica dos produtos utilizados e está a reduzir a compra de matérias-primas embaladas em plástico

Desde a inauguração, no ano 2000, que o Restaurante Helana, em Idanha-a-Nova, tem vindo a evoluir na oferta gastronómica, agora mais ligada às tradições e às raízes beirãs, mas também na adoção de melhores práticas ambientais. Este processo, iniciado com convicção há dois anos, tem sido gradual, mas os resultados já estão à vista. A montante, escolhem-se ingredientes locais, sempre que possível com certificação biológica, diminuindo a pegada ecológica e estimulando a economia. Privilegiam-se as estações e, com isso, ficam a ganhar a natureza e os clientes, que provam alimentos frescos e com todo o potencial.

“Esta preocupação faz parte do nosso ADN”, comenta o chefe Mário Ramos. Ao nível das carnes, por exemplo, compra-se o borrego da Geo do Prado, produzido localmente e certificado. No caso dos legumes e frutas, trabalham com a Terra Bio e com a Sementes Vivas, empresa que produz sementes 100% biológicas e biodinâmicas e vende hortícolas bio. O restaurante é aromatizado através da vaporização de óleos essenciais naturais, feitos com ervas da Aromas do Valado. 

Alinhando-se com a estratégia europeia de redução do uso do plástico e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, o Helana está a reduzir a compra de matérias-primas com embalagens de plástico. Opta-se pelo papel vegetal ecokraft, em detrimento de alumínio ou outros materiais que não provenham de fontes sustentáveis e utilizem aditivos poluidores, como branqueadores. Todos os consumíveis de papel — papel de cozinha, guardanapos, papel higiénico e toalhas de mão — têm certificação Ecolabel, Lucart e/ou PEFC. Os individuais são de cortiça, material extraído de uma árvore com “grande longevidade e uma enorme capacidade de regeneração”. No Helana só se utilizam palhinhas de papel e as bebidas servem-se em copos de vidro.

Ao nível da gestão da água, a opção recai pela que “traz mais benefícios para o planeta”, ou seja, a água local purificada. “Graças à tecnologia de microfiltragem e refrigeração, a água local passa por um processo que elimina 99,99% das bactérias e agentes contaminantes, suprimindo os resíduos e sabores indesejáveis e apurando todas as propriedades benéficas da água. Assim, diminuímos o impacto ambiental inerente ao circuito de distribuição, produção e das embalagens residuais”, explica Mário Ramos, que anuncia ainda que vão começar a vender garrafas “fill forever” reutilizáveis.

As preocupações com a sustentabilidade estendem-se à limpeza. Todos os detergentes usados na lavagem de pavimentos, da loiça manual e na espuma de lavar as mãos são compostos por “ingredientes com elevados graus de biodegradabilidade e certificação Ecolabel”. Por outro lado, no campo da energia, desde o outono de 2018 que o restaurante é aquecido através de pellets provenientes de biomassa. Ao abdicar do ar condicionado para o aquecimento, também se poupa energia elétrica e reduzem-se as emissões de poluentes para a atmosfera.

Restaurante Helana
Rua José Silvestre Ribeiro, 35, Idanha-a-Nova. Tel.: 277201095