Recicla

Ideias para oceanos sem icebergs de esferovite são bem-vindas

Se se preocupa com a ameaça que a esferovite constitui para os oceanos e para a vida marinha e se tem ideias que ajudem a minimizar essa ameaça, saiba que a Sociedade Ponto de Verde está à procura dessas ideias. Esse é o objetivo do projeto Ocean’s Calling.

Caixas de peixe e marisco, copos de bebidas quentes, embalagens de aparelhos eletrónicos, estruturas flutuantes no mar. O que têm em comum todos estes produtos? São feitos com EPS e XPS, também conhecidos por “esferovite”.

Este material tem-se revelado uma grande fonte de lixo marinho, especialmente no Oceano Atlântico, sendo que, além da poluição, coloca em risco a fauna marinha: é que, devido à sua composição, fragmenta-se com facilidade em pequenas partículas que acabam por ser ingeridas pelos animais.

Foi para combater este problema pela positiva que a Sociedade Ponto Verde, em conjunto com outros quatro países – Irlanda, França, Espanha e Reino Unido –, desenvolveu o projeto Ocean’s Calling. O objetivo é incentivar projetos de Investigação, Desenvolvimento e Inovação que apresentem soluções no âmbito das melhores práticas de produção, uso, recolha e reciclagem de embalagens de esferovite. O propósito, a longo prazo, será evitar a existência deste lixo no mar.

Esta iniciativa internacional está aberta a todos, podendo candidatar-se projetos de promotores individuais ou coletivos, de nacionalidade portuguesa ou estrangeira. As candidaturas podem ser submetidas através da plataforma www.oceanscalling.pt até dezembro. A fase de avaliação, composta pela análise e seleção dos projetos finalistas, será realizada pela Sociedade Ponto Verde, entre janeiro e abril de 2020. O vencedor do prémio será anunciado nos sites da Sociedade Ponto Verde, do Ocean’s Calling e do projeto OCEANWISE, em junho do próximo ano.

O Ocean’s Calling está inserido num projeto mais global – o OCEANWISE, que visa o desenvolvimento de medidas de longo prazo para reduzir o impacto da esferovite no nordeste do Oceano Atlântico, tendo por base os princípios de eficiência de recursos da Economia Circular.