Recicla

Isabel Silva: “O ecoponto doméstico foi das melhores coisas que arranjei nos últimos tempos”

Começou a separar os resíduos para reciclagem há pouco tempo, mas está determinada a fazer cada vez mais pelo ambiente. A apresentadora de televisão acredita que o estilo de vida saudável que leva é uma fonte de bem estar físico e, ao mesmo tempo, mais amigo do ambiente

Está ligada a todo um universo saudável e sustentável. Como é que a sustentabilidade entrou no seu dia a dia?
Sempre fui muito ligada a um estilo de vida mais saudável e isso, naturalmente, traduz-se na forma como faço a gestão dos meus resíduos. De há uns tempos para cá que tenho tentado tornar-me mais sustentável e amiga do ambiente e até passei a ter aqueles ecopontos para fazer a reciclagem em casa, o que facilitou muito a minha entrada neste mundo. Claro que ainda estou a começar e vou aprendendo coisas novas todos os dias, mas sou uma pessoa muito determinada e sei que, no futuro, me vou tornar numa verdadeira especialista.

Faz separação de embalagens?
Comecei recentemente a fazer a separação de todos os resíduos que tenho em casa. Tenho os sacos com três cores em casa e isso facilita imenso na hora de separar as embalagens. O ecoponto doméstico foi uma das melhores coisas que arranjei nos últimos tempos.

Qual é a principal motivação para ter passado a ser mais ativa nas questões ambientais?
Defini como uma das minhas resoluções para este ano de 2019 começar, cada vez mais, a reduzir a quantidade de resíduos que tenho em casa e isso passa por fazer melhores escolhas no momento em que vou fazer as minhas compras.
Evito usar sacos de plástico e até quando vou com o meu cão, o Caju, à rua, tenho sempre comigo sacos orgânicos e biodegradáveis. Já para ir às compras, quando não recebo os cabazes de frutas e verduras em casa, uso sempre sacos de pano e reutilizáveis. Gosto sempre de comprar a granel e levo comigo para a mercearia frascos de vidro para colocar as minhas sementes, leguminosas e cereais. Na parte de higiene oral, uso escovas de bambu, elixir vegetal também. Estes são só alguns exemplos, claro, mas há muitas outras coisas que tento fazer no dia a dia.

Comer saudável pode ser, também, uma forma de ser mais sustentável?
Quando preparo as minhas refeições e as marmitas tento sempre usar produtos frescos e orgânicos e sei que só consigo isso comprando através de produtores locais. Todas as semanas recebo em casa um cabaz com várias frutas e verduras frescas, da época e produzidas sem recurso a químicos. Isso, naturalmente, faz com que estes alimentos sejam mais ricos nutricionalmente e, claro, muito mais saborosos.
Por outro lado, para além de respeitar os produtos da época também respeito o que tenho no meu frigorífico. Cozinho com o que tenho e gosto de chegar ao final da semana e sentir que ele está vazio. É sinal que aproveitei tudo. E este aproveitamento também acaba por estimular o meu lado criativo na cozinha.

Três boas práticas das quais não abdica.
Comprar sempre produtos frescos, de produção local e orgânicos. Evitar ao máximo o plástico de utilização única. Consumir o mínimo de produtos de origem animal que conseguir, porque, além das questões ligadas à crueldade, a indústria animal é das mais poluentes do planeta.