Recicla

Laura Dutra: “Eu sou super adepta da reciclagem”

A atriz Laura Dutra trata a reciclagem por tu e ajuda quem tem dúvidas sobre ter uma vida mais sustentável a fazer o mesmo. Já foi praticante de bodyboard e hoje, sempre que vai à praia, leva, além da sua garrafa reutilizável, um saco para recolher lixo. 

Qual é o papel de cada um de nós, neste filme de tornar o planeta mais sustentável?

Somos os protagonistas. Temos a obrigação de passar a mensagem e relembrar a sua missão em todas as cenas. Portanto, é fundamental para as pessoas que têm uma certa influencia poderem influenciar outras e motivá-las para a mudança. É importante que os mais novos influenciem os mais velhos e que haja uma motivação entre todos. Porque se cada um fizer o seu papel a mudança acontece.

Faz reciclagem? Há quanto tempo?

Eu faço reciclagem desde que me lembro. Tenho os três separadores do lixo. Acho mesmo importante, sobretudo o do vidro. Nós não temos um ecoponto do vidro relativamente perto e eu tenho o hábito desde miúda de ir com os meus pais ao vidrão, é quase um ritual de domingo. Além disso, fui escuteira por isso desde cedo que nos incutiram essa ideia e a de que era preciso espalmar as embalagens, por exemplo. Eu ainda aplico isso e vou aplicar para sempre.

Qual é a importância que atribui à reciclagem?

Acho que a reciclagem tem uma importância tremenda e que cada vez mais as pessoas devem optar por fazer reciclagem, porque nós estamos tão evoluídos que reutilizar e reciclar e fazer algo novo a partir de coisas usadas é fundamental e cada vez mais importante. Creio que tudo o que é de utilização única vai começar a circular cada vez menos, sobretudo as embalagens de plástico. A reciclagem ajuda muito e é fundamental para a mudança e para a reutilização e recriação. Eu sou super adepta da reciclagem e acho que deveria ser obrigatório e que deveríamos relembrar mais vezes as pessoas o quão importante esta ação é.  

Créditos: Joanna Correia

Quais são as práticas mais sustentáveis que adota no dia a dia?

Eu vou muito ao supermercado e tenho sempre sacos de compras e de fruta para não ter de utilizar sacos de plástico. Utilizo champôs sólidos e detergentes que não afetam as águas. Além disso, sempre que vou para a praia levo um saco comigo e apanho todo o lixo que consigo.

Como é que se concilia as rotinas diárias com as preocupações de sustentabilidade?

Eu consigo conciliar tudo e tenho várias preocupações de sustentabilidade diárias que já estão na minha rotina e nem sequer penso nelas. Por exemplo, tenho um conjunto de coisas que opto por trazer na minha mala (as malas grandes são por alguma razão), como a garrafa de água reutilizável para não usar os copos de plástico.

Enquanto figura pública, sente ter responsabilidades na promoção de hábitos sustentáveis?

Acho que toda a gente tem as suas responsabilidades. Sendo figura pública, ou não, sinto que tenho a minha responsabilidade. Às vezes, às pessoas que me conhecem, eu consigo dar uma dica ou outra e quando vejo lixo no chão, ou outra má prática, também intervenho. Mas claro que consigo fazer isto com pessoas mais próximas, ou no trabalho. E há várias conversas entre atores sobre sustentabilidade, por causa de copos de plástico, por exemplo. Às vezes relembro as pessoas para terem atenção e só tirarem um copo e escreverem o seu nome para não irem buscar outro a seguir. Ainda há pessoas que não têm muito conhecimento sobre a reciclagem, mas nota-se um interesse e quando isso acontece eu tenho toda a disponibilidade e todo o tempo do mundo para falar sobre isso. Seja com pessoas conhecidas, ou com pessoas que estão interessadas e que eu não conheço. Gosto de perder tempo com isso, acho que a mensagem é simples: nós podemos ajudar o ambiente.