Recicla

Pedaço a pedaço, criam-se almofadas de luxo

Chama-se The Thinker and The Sinner e aproveita os tecidos e o patchwork para criar almofadas. Pelo caminho, 10% das receitas são revertidas para duas associações: Movimento Mulheres de Vermelho e APAV.

Dois apaixonados por moda, António Peres e Paulo Julião, juntaram-se e criaram a startup The Thinker and The Sinner. O seu primeiro projeto passou por produzir almofadas – uma delas homenageou a cantora Madonna – a partir de pequenos pedaços de tecidos, como forma de transformar o desperdício feito por marcas de grandes nomes em peças de luxo, através do patchwork.

Mas costurar almofadas com estas características não é fácil. “É muito minucioso e moroso, os métodos são os mais artesanais possíveis e isso dá trabalho”, sublinha António.

As almofadas foram produzidas manualmente por Julião e sete costureiras num pequeno ateliê nas Olaias, Lisboa. Os tecidos, doados por associações, marcas, amigos e familiares dos criadores, são a alma do negócio. O maior contributo veio de um dos próprios fundadores, António, que doou várias gravatas logo que o projeto nasceu. “Tinha centenas de gravatas em casa, levei-as para o ateliê e, hoje em dia, reconheço muito daquilo que é a minha memória e que está ligada àqueles tecidos”, conta.

Atelier The Thinker and The Sinner

A The Thinker and The Sinner promove a sustentabilidade e o desperdício zero, tendo por base o modelo de economia circular, uma vez que os materiais, que, supostamente, são desperdício, são novamente utilizados, neste caso, para fazer almofadas.

O propósito da marca com esta coleção foi criar peças de decoração que pudessem ser vendidas, mas em que parte dos lucros revertesse para instituições sociais. As associações Movimento Mulheres de Vermelho e APAV receberam, respetivamente, 5% das receitas das vendas.

O nome da startup nasceu das duas dimensões que, para António Peres, caracterizam mais a natureza humana: o pensamento e o pecado. “Somos pecadores e só não o somos mais porque o pensador em nós não nos deixa. Ter uma almofada destas é um pecado perdoado.”, afirma o criador.

Através de uma forte política de parcerias, a The Thinker and the Sinner afirma que “pretende implementar também a criação de uma escola para ensinar as suas técnicas de patchwork, de modo a contribuir para responder às necessidades de muitos consumidores”.