Recicla

Pelas vilas e cidades do Geopark da Estrela

Os municípios do Geopark Estrela foram distinguidos com o Prémio Europeu de Geoconservação 2020. Vale a pena saber porquê e, depois, ir até lá.

O potencial geológico desta região, assim como a promoção do desenvolvimento sustentável, tem sido também reconhecido pela UNESCO, que já aprovou a sua elevação a parque mundial.

O Geopark Estrela é constituído por 124 locais de interesse, numa área de 2216 km2 que abrangem nove municípios: Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, Manteigas, Oliveira do Hospital e Seia.

Para que possa descobrir mais sobre estas maravilhas da natureza no centro do país deixamos-lhe algumas ideias do que pode visitar.

O Covão dos Conchos é uma das imagens que mais atrai turistas à Serra da Estrela. Esta albufeira inclui um sistema de transvase para a Lagoa Comprida, através de um túnel, com cerca de quilómetro e meio, que mais parece um portal do tempo saído de um filme de ficção científica. Para lá se chegar, só a pé, mas o trilho vale tanto a pena como o destino final.

Covão dos Conchos

O Poço do Inferno foi formado há 300 milhões de anos pela colisão de placas tectónicas culminando num processo denominado metamorfismo. As formações geológicas que se encontram na região de Manteigas destacam-se na paisagem pelos seus picos escarpados.

Poço do Inferno

A Cascata da Caniça e a Cabeça da Velha situam-se ambas em Seia. A primeira é uma sequência de quedas de água que, com o passar dos anos, deixaram marcas nas rochas. Já a Cabeça da Velha é um bloco granítico que, pelo seu formato, faz lembrar exatamente a face de uma pessoa idosa. O clima quente e húmido da região proporcionou o desgaste e a alteração nesta rocha.

Em Oliveira do Hospital, podem ser visitadas as Ruínas Romanas na Aldeia de Bobadela. Um conjunto arquitetónico que, como o nome indica, testemunha o período romano em Portugal. Por toda a aldeia é possível encontrar ruínas que correspondem a estruturas de uma antiga praça romana, um fórum, um arco e um anfiteatro.

Se continuar o percurso pela história da região, não se esqueça de visitar o Castelo de Folgosinho, pois a vista sobre a vila não deixa ninguém indiferente. Esta estrutura faz parte de um triângulo defensivo, completado pelo castelo de Celorico da Beira e pelo de Linhares da Beira.

Castelo do Folgosinho

Embarque numa exploração geológica por estes municípios, não se vai arrepender. Mas, sempre com respeito pela natureza, tendo o cuidado de não deixar vestígios da sua passagem.