Recicla

Saiba quais são os países que mais reciclam

Alemanha, Coreia do Sul e Áustria são exemplos a seguir. Saiba mais sobre as políticas de reciclagem destes países

Nesta corrida à reciclagem, há um top 3 a seguir. Segundo dados da OCDE — Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico — em primeiro lugar está a Alemanha, em segundo a Coreia do Sul e em terceiro a Áustria. Estes são os três países que mais reciclam resíduos urbanos, em todo o mundo — cerca de 56% dos resíduos urbanos produzidos.

A Alemanha, que lidera este ranking, é vista como um modelo a seguir nalguns fluxos de resíduos e a Comissão Europeia usa o exemplo deste país como prova de que o tratamento dos resíduos pode trazer vantagens não só para o ambiente, mas também para a economia.

De acordo com números do Eurostat, o órgão de estatísticas da União Europeia, em 2010 foi reciclado na Alemanha mais de metade de todos os resíduos urbanos produzidos, enquanto a média da UE é de 25%. No resto da Europa, 38% dos resíduos acabam em aterros sanitários, na Alemanha essa taxa é 0%. E não é que se produzam menos resíduos, pelo contrário. Todos os anos, cada alemão produz 583 quilos de lixo, enquanto a média europeia se fica pelos 502 quilos por pessoa. A diferença está no tratamento que dão aos resíduos, apostando sempre na reciclagem e na valorização energética, processo que tem gerado milhares de empregos no país.

Já na Coreia do Sul, a gestão é feita de maneira a evitar o desperdício. Nessa linha, o governo passou a cobrar uma taxa por quilo para a quantidade de lixo orgânico descartado pela população, de maneira a que todos tenham mais consciência sobre os seus hábitos de consumo. Esta medida, não só contribuiu para a diminuição do desperdício alimentar, como fez com que a Coreia do Sul encabeçasse também a lista de países que melhor reaproveita esses resíduos orgânicos.

A completar este trio ecológico está a Áustria, país no qual o sistema de recolha e de reciclagem estão tão enraizados que menos de 3% dos resíduos vai para aterro. Existe inclusive legislação específica no caso da Áustria e Alemanha que impede a colocação em aterro de resíduos urbanos não tratados. O sistema de recolha seletiva começou em 1975, apenas com a separação do vidro, papel e plástico, mas desde 1989 que o país fez da recolha algo mais minucioso, com divisão entre resíduos orgânicos, papel, latas, plástico, vidro transparente e vidro colorido.