Recicla

Viagem às cores do outono

No outono, as paisagens vestem-se de vermelho e dourado, o que, por si só, justifica uma visita. Mais ainda, se acrescentar a esta paleta de cores aldeias preservadas pelo tempo e as maiores cascatas do País. Venha daí!

O que propomos, afinal? Que descubra o Parque Natural do Alvão, um dos locais de Portugal onde a natureza se apresenta em todo o seu esplendor. Fica a norte, entre os concelhos de Mondim de Basto e Vila Real, tendo sido classificado como área protegida em 1983, o que deixa bem antever as relíquias naturais que se escondem entre a montanha – a da serra que lhe dá o nome – e o rio Olo.

Bastaria ficar a ouvir a água correr por entre o parque para a viagem valer a pena. Mas há muito mais para conhecer, porque este parque é um habitat muito rico, em espécies animais e vegetais, além de que a simples observação da geologia é surpreendente.

O ex-libris são as Fisgas do Ermelo. Deixam sem palavras quem as contempla: as águas do rio Olo precipitam-se de quase 300 metros, num jogo que é simultaneamente de força e de beleza. Jorram do alto com determinação, para logo a seguir acompanharem os vários socalcos da encosta, perdendo-se entre dobras, escondendo-se e reaparecendo mais abaixo. Vão-se formando pequenas lagoas de águas cristalinas, a que os locais chamam piocas, e que convidam a banhos… mas não nesta altura… 

A melhor forma de conhecer o parque é, claro, caminhando. Há muitos percursos pedestres sinalizados – escolha um ou mais e aventure-se (mas sem sair dos trilhos).

Deixamos uma sugestão: o caminho de Barreiro a Lamas de Olo leva até às barragens Cimeira e Fundeira do Alvão, passando pelas aldeias de Barreiro e de Lamas de Olo, onde o casario é em granito, com alguns telhados de colmo. Enquanto caminha, detenha o olhar nos campos de cultivo e nos urzais e carqueijais onde pastam os rebanhos de cabras.

Aldeia de Lamas de Olo, Vila Real

É possível também fazer as rotas das lagoas naturais, com passagem pelos miradouros que pontuam o parque. Em qualquer um deles, é garantida uma vista espetacular sobre o Alvão. No de Lamas de Olo alcança-se a aldeia homónima, rodeada de campos agrícolas e prados. Subindo até quase aos mil metros de altitude, encontra os miradouros do Barreiro, das Fisgas de Ermelo e do Monte Farinha, aqui com o Santuário de Nossa Senhora da Graça: em qualquer um deles a vista é esmagadora, obrigando a uma paragem demorada, para deixar o olhar habituar-se à vastidão e para a mente absorver o silêncio e a paz.

Este é, provavelmente, um dos locais mais intocados do País. Se ainda não conhece, vá até lá; se já conhece porque não repetir a visita? Está à porta um feriado, que pode proporcionar um fim de semana prolongado… Se não for possível agora, marque na sua lista de “coisas a fazer”. Vá por nós!